“Todos os sacerdotes precisam de ajuda espiritual para viver
a própria vocação e a própria missão no mundo de hoje”. 

Em carta datada de 08 de dezembro de 2007, dirigida a toda a Igreja, o prefeito da Congregação para o Clero, Cardeal Dom Cláudio Hummes, pedia oração pela santidade (dos sacerdotes) e sugeria a maternidade espiritual e a adoração eucarística em favor dos sacerdotes. Ele dizia: “Todos os sacerdotes precisam de ajuda espiritual para viver a própria vocação e a própria missão no mundo de hoje”.
Enquanto missionários inseridos no contexto das Novas Comunidades e consagrados a Nossa Senhora, tanto nós, Fraternidade Discípulos da Mãe de Deus quanto a Comunidade Servos de Maria do Coração de Jesus, em obediência a Igreja elaboramos e desenvolvemos no ano de 2008 o Projeto : Aliança de Amor pela santificação do Clero da Arquidiocese de Natal, visando justamente esta adoção espiritual do nosso Clero

Desejamos além de acolher os sacerdotes também resguardar no coração de Nossa Senhora os diáconos que são servidores de todos e foram consagrados para diversos serviços de caridade. Sem esquecermos-nos daqueles a quem foram conferidos a plenitude do sacramento da ordem, ou seja, os nossos Bispos, tanto os em atividade quanto os eméritos.

Se não sabemos das necessidades materiais que o clero enfrenta, sabemos da precisão espiritual que todos passam. A oração pelo clero, que está no “Cartão de Adoção”, foi constituída em vista as virtudes de Nossa Senhora.

Será revelado pelos responsáveis do Projeto, através do termo de adesão, o nome de cada pessoa que venha a realizar a adoção( adotante) como também o seu adotado. Essas informações devem permanecer em sigilo pela Fraternidade. Contudo se faz necessário a Instituição saber o nome do adotado para se (por) como “ponte” entre o sacerdote e o adotante.

Aquele que aderir ao projeto deve comprometer-se a não divulgar para outras pessoas por quem está rezando e nem mesmo para o seu adotado. A oração deve ser secreta, o intercessor não precisa ser conhecido, mas orar continuamente! Nunca de pé nas sinagogas com o objetivo de ser visto pelos homens.
Mesmo sendo um projeto direcionado pela Fraternidade não significa dizer que o fiel que faça a adoção fique ligado a esta instituição como membro, portanto fica isento de cumprir os deveres estatutários.
É verdade que em nossa arquidiocese atualmente, há padres e diáconos celebrando nos altares que merecem nosso reconhecimento por sua renúncia e doação ao reino de Deus. Por isso no site da Fraternidade poderá o adotante colocar um depoimento da atitude de um padre ou diácono do nosso clero (que em suas atitudes nos) o faz lembrar Cristo.